*Da Redação

Diante a crise política, social, econômica e sanitária, o Movimento dos Sem Terra (MST), lança o Plano Emergencial de Reforma Agrária Popular.  Nele, conforme o movimento, foi listado medidas de proteção e produção que tem como objetivo garantir condições de vida digna para a população do campo.

O Plano tem objetivo de pautar a reforma agrária na sociedade (Foto: Divulgação)

– A natureza do governo Bolsonaro é provocar o conflito, mas o movimento busca a realização da Reforma Agrária Popular pressionando os governos estaduais, o Judiciário e as esferas da sociedade civil onde há diálogo – diz o MST.

O Plano, lançado no Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, ainda conforme o MST, tem objetivo de pautar a reforma agrária na sociedade, “destacando que também vivenciamos uma crise ambiental que se relaciona à pandemia e vem sendo gerada pela exploração insustentável dos bens naturais”.

Como resposta a essas crises o MST aponta suas múltiplas ações em torno da preservação ambiental, como o plantio massivo de árvores e a produção de alimentos agroecológicos, assinalando que a reforma agrária é fundamental para garantir que as grandes cidades sejam abastecidas com alimentos saudáveis, a preço acessível.

Este lançamento oficial nesta sexta, 5, às 10h, pode ser acompanhado nas páginas do MST nas redes sociais com a participação de Suricate Seboso, Rita Von Hunty, Emicida, Fioti e muito mais.Também serão realizadas ações simultâneas em mais 21 estados.

facebook.com/MovimentoSemTerra

youtube.com/videosmst

facebook.com/MovimentoSemTerra/

Fonte: Ascom/MST