Vicentinho Júnior “frente a frente com Antônio Oliveira” (Foto: Gabriel Heusi)

Da Redação

– Faria totalmente diferente. É preciso trabalhar com a verdade. Essa pandemia deixou claro que dinheiro tem, falta gestão. É fato que o cobertor dos recursos públicos tem limite, não dá pra fazer tudo ao mesmo tempo, mas se priorizarmos e investirmos nas potencialidades do município, Palmas caminha por si só – respondeu o pré-candidato a prefeito de Palmas, Vicentinho Júnior (PL), em entrevista ao jornalista Antônio Oliveira, nesta noite, por meio da Rádio Capital FM 87,9, de Palmas. Sua colocação foi em relação crise sanitária e econômica, causada pela pandemia do novo Coronavírus,  na capital do Tocantins.

Com discurso focado em propostas para a administração de Palmas e em críticas a prefeita Cinthia Ribeiro e ao governador Mauro Carlesse, o pré-candidato mostrou-se “afiado” nesses ataques e em suas propostas. Falou um pouco de cada tema de interesse da população.

– A cultura da bicicleta na madrugada mostra a importância em investir no esporte para fomentar a economia. Hoje o aeroporto não tem uma salinha à disposição do guia turístico para receber quem visita o Jalapão e passa por aqui. Uma matéria (jornalística) na última semana, trouxe o nosso vizinho de cerca, o estado de Goiás que implantou 2 mil novas empresas na pandemia. Algo está errado, não estamos sabendo observar e fazer igual. Ficamos no discurso de uma industrialização que nestes 30 anos chegou de forma acanhada – apontou numa evidente crítica a gestão do governador Mauro Carlesse.

O pré-candidato abordou a necessidade de uma gestão moderna, criativa e enxuta.

– Ser gestor é planejar. Hoje muito se fala em material humano, gestão humanizada, mas não temos visto. Precisamos investir em quem faz, quem constrói as categorias. Se não ouvimos aqueles que são especialistas nos setores, não aprendemos nada. Palmas foi criada para abraçar a todos. Como vou fazer um decreto sem ouvir por exemplo as categorias envolvidas? Isso não existe. Um decreto que não ouve os profissionais da medicina, da enfermagem, os impactados no comércio. Gestão humanizada precisa sair do discurso – disse, já apontando em direção a prefeita de Palmas.

Ainda conforme ele, Palmas foi criada para abraçar a todos. Ele criticou também a Educação e a Saúde  na Capital. Para ele falta Educação de qualidade e na Saúde falta visão, diálogo e correta aplicação dos recursos públicos.

– Não brigo, não tenho inimigos. Faço debate de idéias. Tentaram envolver o meu nome com coisa errada. Carta anônima. PF em Brasília. Não sou da velha política, nem fiz a política de barganha – respondeu em relação à sua proposta de ter um vice do Podemos em Palmas e o candidato do prefeito Ronaldo Dimas, em Araguaína, ter um vice do PL, seu partido.

Geração de emprego e renda

Por fim, o pré-candidato elegeu o turismo, a tecnologia da informação, os esportes e o lazer como principais fontes de geração de emprego e renda na capital.

A entrevista com Vicentinho Junior fez parte da série com candidatos a pré-prefeitos de Palmas e é uma parceria entre a Cerrado Comunicação e Capital FM.

Nota da Redação: Cerrado Comunicação está passando por uma fase de transição, saindo de seu foco 100% no Agronegócio, para um jornalismo diversificado, priorizando o audiovisual por meio de seus canais de Rádio e TV Web. Aguarde um novo site.