*Da Redação

O crescimento da piscicultura no Brasil e a necessidade de diversificação na propriedade rural, da pequena a grande, têm despertado a curiosidade de quem deseja investir numa atividade produtiva ou na diversificação de seu negócio. A pergunta mais feita, entre pequenos produtores, é “Qual é a melhor forma de se criar peixes?”.

Cerrado Rural Agronegócios fez uma pesquisa na Internet e encontrou, no site da Nutrição & Saúde Animal”, da Vaccinar, importantes dicas.

Conforme o site,  existe uma variedade grande de produtos disponíveis atualmente no mercado. “Desde viveiros até a construção de tanques, que podem ser de terra, alvenaria, revestidos por lona de PVC e, até mesmo, tanques-rede, são muitas as opções para os criadores.”!

A publicação inicia suas dicas, lembrando que há diferença entre viveiros e tanques para piscicultura.

– Viveiros e tanques são dois ambientes diferentes para a criação de peixes. Enquanto o viveiro é considerado mais próximo do ambiente natural dos animais aquáticos, por reproduzir de forma mais fiel o seu habitat, o tanque é artificial, por ser, em geral, revestido com outro material – aponta.

Segundo o site, no viveiro, a água é trocada frequentemente, seja por um sistema de barragem, seja por derivação.

– Já o tanque, que pode ser de alvenaria, lona ou outro material, o abastecimento é sempre por derivação, via nascentes, bombeamento ou canal – diz.

Tipos de tanques para peixe

Há várias opções, conforme o site consultado.

(Foto: Divulgação)

Tanques de terra

Bastante similares aos viveiros, os tanques de terra são os mais “naturais” e próximos das condições originais em que os peixes nascem, crescem e se desenvolvem. Para o manejo e a limpeza ficarem mais fáceis, a recomendação é para que esses tanques sejam construídos diretamente na terra. Além disso, seu formato deve ser obrigatoriamente circular, quadrado ou retangular.

O site faz um alerta: certas espécies se adaptam melhor a tanques circulares. Isso ocorre porque esse formato simula o movimento das águas de forma mais parecida com o ambiente natural. É por isso, também, que os tanques circulares são conhecidos como tanques infinitos. Pelo fato de as espécies se agregarem em cardumes e nadarem em círculos, elas nunca encontram o fim do tanque.

Tanques de alvenaria

Há, ainda, os tanques de alvenaria. Entre os materiais mais usados estão o concreto, o cimento e a argamassa armada. Em alguns casos, os tanques de alvenaria têm fundo terroso, apenas com as paredes revestidas de cimento. A manutenção desse tipo de tanque é mais fácil, na comparação com o modelo de terra.

Tanques de lona de PVC

Para quem busca mais facilidade na limpeza, os tanques de lona de PVC são a solução ideal. Mais práticos, simplificam o processo de higienização e aumentam a segurança na produção, além de economizarem água devido ao revestimento impermeabilizante PVC.

Isso ocorre devido à possibilidade de haver a aeração, que incorpora o oxigênio do ar na água, eliminando o acúmulo de gases tóxicos. Os pacus, pirarucus e tilápias são espécies que se desenvolvem melhor em tanques de lona de PVC.

Tanque-rede

Os produtores que temem ataques de predadores podem optar pelo tanque-rede para peixe. Esse é o modelo que oferece maior proteção na criação de organismos aquáticos. Se fabricados com telas de arame, esses tanques não permitem a aproximação de predadores que possam atacar os peixes.

O tanque-rede para piscicultura torna mais fácil o manejo de animais aquáticos, bem como observá-los dia a dia. A oportunidade de acompanhar seu desenvolvimento a olho nu permite identificar eventuais doenças e dar início aos tratamentos com mais agilidade. Problemas alimentares e comportamentais também podem ser analisados e combatidos mais de perto.

Mais uma vantagem desse produto: desde que fabricado com um tanque de poliéster de alta tenacidade e que tenha como característica a ausência de nós, o tanque-rede evita que os peixes se machuquem em momentos de estresse. O tanque rede de tela de poliéster é instalado dentro do tanque de arame.

Sabe-se que evitar lesões é um passo importante para que a criação de peixes traga bons resultados, tanto em quantidade de animais desenvolvidos quanto na própria qualidade do produto que será ofertado ao mercado.

Como escolher o tanque para piscicultura?

Mais do que avaliar necessidades como proteção, facilidade de limpeza e praticidade de manejo, há outros fatores a serem considerados na escolha do tanque para piscicultura. O tipo de peixe a ser criado e o seu volume são elementos que precisam ser analisados antes da definição do formato e da profundidade — características que são fundamentais para o sucesso.

Formatos

O formato circular é indicado na criação das seguintes espécies: bagre; lambari; matrinxã; panga; pirarucu; tilápia e truta.

O tanque circular permite implantar um sistema alimentar intensivo. Sua alta capacidade de estocagem e circulação intensa da água no tanque é outra característica que favorece a criação dessas espécies.

Os retangulares e quadrados, por sua vez, são recomendados para produção de peixes com pouca ou nenhuma renovação da água — os chamados bioflocos.

Profundidade

Os tanques para piscicultura devem ter entre 0,80 m e 4,00 m de profundidade. Essa variação se dá devido às espécies a serem cultivadas. Enquanto algumas necessitam de mais espaço, já que são maiores, outras podem se desenvolver em ambientes de menor porte.

Importância do manejo dos peixes

A definição do modelo de tanque para piscicultura a ser utilizado também deve levar em conta outra questão muito importante: o tipo de manejo a ser adotado. Dependendo da espécie criada, o manejo precisa ser feito seguindo determinados procedimentos, que são específicos e devem ser analisados caso a caso.

Conheça outros pontos críticos na definição de qual tanque adquirir, no que diz respeito ao manejo:

Espaço disponível para instalação; método de produção; qualidade das fontes de água; quantidade de água disponível, entre outros.

Neste artigo, buscamos abordar quais são os principais tipos de tanques para piscicultura. Ao longo do texto, trouxemos dicas valiosas para piscicultores e para quem está pensando em começar a atuar nesse ramo.

Além das variações de materiais, dimensões e facilidade de manejo, a escolha do tanque ideal deve levar em conta as espécies a serem criadas. Consulte um especialista no assunto para receber orientações mais específicas para o seu caso.

*Com o site Nutrição & Saúde Animal