*Da Redação

O Incra promoveu, dias 5 e 6 de abril, em Salvador (BA), a sua Reunião de Alinhamento Estratégico para 2018. O evento reuniu toda a direção da autarquia, assessores da presidência, coordenadores, 30 superintendentes regionais, membros da Ouvidoria Agrária Nacional (OAN), da Procuradoria Federal Especializada (PFE), da Auditoria e da Corregedoria do Instituto, além de representantes do Sindicato Nacional dos Peritos Federais Agrários (SindPFA), da Confederação Nacional das Associações de Servidores do Incra (Cnasi) e da Associação dos Servidores da Reforma Agrária em Brasília (Assera). Este encontro de gestores foi o maior já realizado pela autarquia, com a participação de 90 pessoas.

O evento reuniu toda a direção da autarquia, assessores da presidência, coordenadores, 30 superintendentes regionais (Foto: Ascom/Incra)
O evento reuniu toda a direção da autarquia, assessores da presidência, coordenadores, 30 superintendentes regionais (Foto: Ascom/Incra)

Dividida em painéis, a Reunião de Alinhamento Estratégico apresentou aos gestores as diretrizes da autarquia para as ações de cada diretoria. Ganharam destaque as discussões acerca do impacto dos decretos 9.309 e 9.311/2018 nos trabalhos de regularização fundiária fora da Amazônia Legal e nos processos de cadastro e seleção de novos beneficiários do Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA). Outro tema importante foi abordado pelo secretário de Controle Interno da Presidência da República, Edson Leonardo Dalescio Sá Teles, que falou sobre as condutas vedadas aos agentes públicos em período eleitoral.

– Esta reunião tem por objetivo preparar o Incra para os imensos desafios que teremos em 2018. Com os decretos 9.309 e 9.311, a autarquia precisa adequar-se aos novos marcos legais e ter, em suas 30 superintendências regionais, uma atuação articulada e integrada. A presença de todos os diretores e coordenadores buscou garantir que os superintendentes tivessem todos os esclarecimentos necessários. Esse foi o momento de dirimir dúvidas e estabelecer linhas claras de ação – destacou o presidente da autarquia, Leonardo Góes.

Tecnologia

A importância do uso de tecnologia no desenvolvimento das ações do Incra também foi debatida no evento. O Plano de Supervisão Ocupacional para fins de titulação passará a contar o apoio da ferramenta Radis, uma plataforma que agiliza e aprimora o trabalho de campo dos técnicos do Incra. No painel apresentado pelo diretor de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento, Ewerton Giovanni dos Santos, os superintendentes tiveram a oportunidade de conhecer as funcionalidades do Radis e entender o seu funcionamento.

Já o uso de veículos aéreos não tripulados (Vants) na produção de peças técnicas para subsidiar o trabalho de titulação teve um painel específico, que ficou sob a responsabilidade do diretor de Ordenamento da Estrutura Fundiária, Rogério Arantes, e do chefe da Divisão de Ordenamento Fundiário da Superintendência Regional de Minas Gerais, Marcelo Cunha.

Reestruturação de carreiras

Pela primeira vez, um encontro de gestores do Incra abriu espaço para as entidades representativas dos servidores. O painel Reestruturação de Carreiras reuniu o SindPFA, a Cnasi e a Assera para debater com a direção da autarquia propostas de atuação conjunta em favor da implementação do Plano de Cargos do corpo técnico do instituto, cuja proposta foi entregue à Casa Civil em dezembro passado.

As entidades apresentaram propostas de uma atuação articulada com a direção da autarquia, no sentido de buscar apoio de parlamentares e membros do Executivo ao Plano de Cargos. O presidente do Incra se colocou à disposição para colaborar e falou sobre a importância da valorização dos servidores para a direção da autarquia.

– De nada adianta comprar equipamentos de última geração e dar condições adequadas de trabalho, se isso não for acompanhado de uma política de valorização do servidor. Ter um salário condizente com a importância e o papel da autarquia é uma luta de todos do Incra, servidores e gestores. A direção do instituto está inserida nesse esforço –  salientou o presidente.

Homenagem

As seis superintendências regionais que tiveram melhor desempenho em número de títulos emitidos receberam uma homenagem especial. Os gestores das SRs de Rondônia, Acre, Mato Grosso, Amapá, Maranhão e Amazonas – que ficou em primeiro lugar – receberam placas como forma de reconhecimento do esforço para que os assentados da reforma agrária recebessem Contratos de Concessão de Uso (CCU) e Títulos de Domínio (TD).

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios